CMPs: Plataformas de Gestão de Nuvem

Conforme o Gartner, Plataformas de Gestão de Nuvem, ou em seu termo em inglês, CMP (Cloud Management Platforms), são ferramentas capazes de gerenciar serviços multinuvem (públicas e privadas), incluindo funcionalidades de governança, gerenciamento de ciclo de vida, brokering e automação em ao menos 8 áreas funcionais, conforme vemos abaixo:

A O3S pesquisou e compilou a avaliação das principais soluções de mercado, conforme 4 renomados benchmarks: Gartner CMP Magic Quadrant, What Matrix, Gartner Peer Insights e Cloud Customer Standards Council. Confira no final do artigo todas as fontes consultadas e suas informações disponíveis publicamente.

Com base nas informações detalhadas destas 4 fontes, compilamos abaixo as avaliações dos especialistas, dos clientes e com relação a presença de mercado de 5 ferramentas. Para inclusão na compilação é necessário que a ferramenta conste em pelo menos 2 dos 4 benchmarks, e atenda critérios de instalação on premise e atendimento através de uma única plataforma. As ferramentas analisadas consideradas foram:

  • Embotics

  • Morpheus

  • Scalr

  • CloudBolt

  • Hypergrid

Os percentuais da tabela abaixo são simplificações feitas pela O3S, a partir das notas e posições absolutas das fontes públicas, para representar a comparação relativa entre as ferramentas . As notas em formato percentual não são de responsabilidade dos benchmarks.

A análise consolidada considerou como critério a avaliação ponderada de cada linha de análise, pontuando como 100% a solução que tinha a melhor classificação e as demais de forma proporcional, conforme a maior nota definida. Para pontuação consolidada a ferramenta precisa figurar em pelo menos 3/4 dos benchmarks. Desta forma a visão consolidada permite apresentar os 4 benchmarks em uma tabela única e padronizada.  A classificação consolidada é a seguinte:

  • Morpheus com 97,1%

  • CloudBolt com 72,7%
  • Embotics com 67,8%
  • Scalr com 60,4%

  • Hypergrid com 53,1%

A ferramenta Flexera, antiga RightScale, não foi considerada nesta comparação, por não disponibilizar a plataforma em ambientes on premise ou na nuvem de escolha do cliente, sob sua gestão. A VMware também foi desconsiderada, pois não tem uma única ferramenta que atenda todas as funcionalidades, precisando uma composição da suíte VRealize com o CloudHealth, adquirido pela VMware em 2018. Ambas ferramentas, entretanto, possuem avaliações boas nos benchmarks que constam.

FONTES PÚBLICAS DISPONÍVEIS

1) Gartner Peer Insights:

O Gartner Peer Insights é a plataforma do Gartner focada na avaliação de usuários das soluções de tecnologia. O foco é trazer de forma gratuita avaliações de usuários finais para usuários finais. A plataforma conta com mais de 6 mil produtos em 340 categorias, com avaliações de mais de 335 mil usuários finais das soluções. A plataforma conta com a validação das avaliações por parte do Gartner, de forma a garantir a origem e veracidade das considerações publicadas.

 

2) What Matrix:

Fundado em 2011, o What Matrix iniciou criando uma matriz de comparação de 3 grandes fornecedores de virtualização através de mais de 150 critérios de avaliação. Nos últimos anos evoluíram apresentando análises de Cloud Solutions e mais especificamente CMPs (Cloud Management Platforms).

 O What Matrix tem sua análise elaborada por um time técnico independente. A listagem no site da What Matrix não requer pagamento de nenhum tipo, sendo exclusivamente com base em capacidade e relevância no mercado. Não há, portanto, conflito de interesse comercial de qualquer natureza. O time é formado por analistas e especialistas da comunidade e, complementado por uma curadoria aberta também da comunidade. As análises levam em conta a comparação com pelo menos 100 critérios de avaliação, sem a visão de usuários eventualmente “comprados”.

Todos os membros da comunidade What Matrix contribuem em seu tempo livre e/ou disponível, de forma espontânea e sem contra partidas financeiras.

As avaliações para a vertical de Cloud Management Platform são lideradas por Ephraim Baron, atualmente Líder de Desenvolvimento de Produtos na Taos. Com passagem por empresas como CloudBolt, Equinix, EMC, Microsoft e HP e formado pela Stanford University, Ephraim tem grande experiência em soluções em nuvem e plataformas de gerenciamento.

3) Gartner CMP 2020 Magic Quadrant

Fundado em 1979 o Gartner é líder mundial em pesquisa e consultoria, atuando em 100 países e atendendo mais de 15.000 clientes enterprise no mundo. O Gartner atende 77% das 500 maiores empresas globais.

O quadrante mágico do Gartner é um dos mais respeitados relatórios do mercado e apoia milhares de empresas na tomada de decisões. Existem centenas de quadrantes específicos para cada tipo de solução no mercado, resultado da pesquisa detalhada naquela solução específica e apresentado com um tratamento gráfico que simboliza o  posicionamento de cada solução, ferramenta ou plataforma conforme um conjunto uniforme de critérios e avaliações.

 

Em geral o quadrante Gartner é o primeiro passo para conhecer e entender os provedores de determinada solução ou tecnologia a serem considerados em determinado projeto ou investimento, mas não necessariamente investir em um líder do quadrante é a melhor alternativa. É necessário avaliar os requisitos específicos do projeto, podendo as vezes ser melhor investir em um player de nicho, por exemplo, ou uma solução mais específica que atenda de forma melhor, mais rápida, ou mais barata seus requisitos ou projeto.

O usuário pode adquirir o relatório diretamente com o Gartner e obter informações adicionais, mais profundas, sobre as análises.

4) Cloud Standards Customer Council

O Cloud Standards Customer Council (CSCC) hoje é parte do OMG (Object Management Group), que foi fundado em 1989 como um consórcio internacional e sem fins lucrativos para a definição de padrões tecnológicos. Estes padrões são definidos por provedores de soluções, usuários finais, instituições acadêmicas e órgãos governamentais.

O CSCC publica um guia com importantes considerações para a adoção de computação em nuvem, destacando padrões, oportunidades para padronização, requisitos de clientes e melhores práticas, visando encorajar e construir um ecossistema aberto e padronizado de tecnologias de computação em nuvem.

5) Sites dos fabricantes, consultados em 25/05/2020